terça-feira, 29 de junho de 2010

Noite de aprendizado para profissionais da educação e saúde

O II Curso de Capacitação para educadores e profissionais da saúde do programa Jovem Consciente reuniu, em sua segunda etapa, realizado na noite da sexta-feira, dia 18, nas dependências do Clube Aliança, um grande número de servidores interessados em ampliar seus conhecimentos na temática da sexualidade. A palestra, ministrada pelo professor Valter Maestro, que voltou ao município a pedido dos participantes, abordou a questão das relações entre os jovens e os educadores na sociedade em que vivemos atualmente. O encontro foi promovido pelas Secretarias Municipais de Educação (Smed), Saúde (SMS) e Habitação e Assistência Social (Semhas) e a 16ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE).

Valther Maestro atua há 24 anos na área da educação e trabalhou com os profissionais a “Sexualidade na Adolescência – Desafios e Perspectivas”. O professor iniciou sua fala contando sobre a escolha de sua carreira. O jovem, que passou em primeiro lugar em medicina na USP, abriu mão do sonho da mãe para se tornar professor, seu desejo de adolescente. Maestro conta que seu primeiro emprego foi como professor de Geografia, no início da faculdade. Depois, fez doutorado e pós-doutorado na Espanha.
 

Professor Valther Maestro ( Fotos: Diana Graziela da Silva)

Ao falar sobre as instituições de ensino de hoje, Maestro comenta que na sala de aula existem três personagens. “O ‘dador’ de aulas, que apenas transmite o conteúdo, o professor, que profetisa, então é só ouvi-lo e segui-lo, e o educador, aquele que consegue transmitir a informação e transformá-la em conhecimento”. Para ele, a primeira coisa que um professor deveria fazer é contar a sua história, para que os educando pudessem lhe conhecer. E também ouvir seus alunos e, assim, conhecê-los melhor. “O primeiro dia de aula deveria ser um momento mágico e de conhecimento”, ressalta.
Durante a apresentação de slides, com textos e reflexões, o professor comenta a frase dita por uma aluna de 12 anos durante o II Fórum Internacional de Educação de Venâncio Aires. “É preciso ouvir com olhos”, disse a garota, ao citar a necessidade de se manter atento ao que os jovens tentam explicar. Nesse ponto, Maestro se refere à forma de pensar dos educadores. “Se continuarmos pensando no que aprendemos antigamente, na escola de antigamente, não vamos conseguir fazer uma escola melhor. E o que a gente mais precisa hoje é fazer alguma coisa”.
O professor chamou atenção para a importância de se diferenciar a informação da educação. “Educar é desenvolver potencialidades humanas, as habilidades, as competências, os procedimentos e as atitudes. É a partir da relação dialógica entre o educador e o educando que irá se desenvolver o conhecimento”, salienta.

Valther comparou as gerações como analógica e digital. “A geração atual, digital, gosta de por a mão na massa, gosta de saber do que se trata antes de ler sobre o assunto. Os jovens de hoje gostam do contato físico, vivem empoleirados, e gostam de usar as tecnologias. Possuem foco no sucesso pessoal e, para isso, buscam referências. E essa referência deveria ser um professor. E nós temos todas as condições de voltar a ser referência, mas precisamos trabalhar para isto”, complementa.